Mestrado profissional em ensino de Biologia e cotidiano docente: reflexões compartilhadas sobre avaliação da aprendizagem

  • Marcia Taborda
  • Juliana Nogueira de Souza
  • Whitaker Jean Jaques e Silva
  • Paulo Bomtempo Júnior
  • Ana Cristina Jorck
  • Luiz Antônio Cidral da Costa
Palavras-chave: Formação de professores, Biologia, Avaliação da aprendizagem, Mestrado profissional

Resumo

Considerando o papel da avaliação da aprendizagem para a educação e partindo das inquietações dos discentes da disciplina Avaliação da Aprendizagem, no Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional, produziu-se o presente artigo, cujo objetivo é compartilhar questões que se apresentam como desafios aos diversos cotidianos educacionais. Ratifica-se a importância de que a avaliação da aprendizagem esteja inserida nos processos de formação dos professores, tendo em vista seu potencial para a aprendizagem significativa e para o desenvolvimento do protagonismo estudantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006. (Orientações curriculares para o ensino médio, v. 2).

MORTIMER, Eduardo Fleury; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Referenciais teóricos para análise do processo de ensino de Ciências. Caderno de Pesquisa, São Paulo, n. 96, p. 5-14, fev. 1996.

DEPRESBITERIS, Léa; TAVARES, Marialva Rossi. Diversificar é preciso...: instrumentos e técnicas de avaliação e aprendizagem. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2009.

FERNANDES, Domingos. Avaliação das aprendizagens: desafios às teorias, práticas e políticas. Lisboa: Texto Editores, 2008.

FERRAZ, Maria José; FERNANDES, Domingos. Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1995.

FLUMINHAN, Carmen Silva Lima; ARANA, Alba Regina Azevedo; FLUMINHAN, Antonio. A importância do feedback como ferramenta pedagógica na educação a distância. Colloquium Humanarum, [s. l.], v. 10, n. especial, p. 721-728, jul./dez. 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HADJI, Charles. A avaliação desmistificada. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação: mito e desafio: uma perspectiva construtivista. 30. ed. Porto Alegre: Mediação, 2002.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida (org.). O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira, 2002.

KRASILCHIK, Myriam. Prática de ensino de Biologia. 4. ed. rev. e ampl. São Paulo: EDUSP, 2008.

LA TAILLE, Y. J. J. M. R. O erro na perspectiva piagetiana. In: AQUINO, Juliano. Gropa (org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1997.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2001a.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 19. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: uma opção pela vida. In: FERREIRA, V. S. Educação: novos caminhos em um novo milênio. Natal: Autor Associado, 2001b.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem na escola: reelaborando conceitos e criando a prática. 2. ed. Salvador: Malabares Comunicações e Eventos, 2005.

LUCKESI, Cipriano Carlos. O que é mesmo o ato de avaliar a aprendizagem? Pátio On-line, Porto Alegre, ano 3, n. 12, fev./abr. 2000a.

LUCKESI, Cipriano Carlos (org.). Ensaios de ludopedagogia. Salvador: UFBA/Faced, 2000b.

PERRENOUD, Phillipe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens: entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

RIZZI, Leonor; HAYDT, Regina Celia. Atividades lúdicas na educação da criança. 7. ed. São Paulo: Ática, 1998.

TEIXEIRA, Paulo Marcelo Marini. Educação científica e movimento CTS no quadro das tendências pedagógicas no Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 88-102, 2003.

ZEFERINO, Angelica Maria Bicudo; DOMINGUES, Rosângela Curvo Leite; AMARAL, Eliana. Feedback como estratégia de aprendizado no ensino médico. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 31, n. 2, p. 176-179, 2007.

Fontes consultadas

AUSUBEL, David. P.; NOVAK, Joseph. D.; HANESIAN, Helen. Psicologia educacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interamericana, 1980.

CABRERA, Waldirléia Baragatti. A ludicidade para o ensino médio na disciplina de Biologia: contribuições ao processo de aprendizagem em conformidade com os pressupostos teóricos da aprendizagem significativa. 2007. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2007.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação educacional: pressupostos conceituais. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 7, n. 24, p. 5-8, 1978.

MYAZAWA, Fernando Mori; URSI, Suzana. Avaliação da aprendizagem de conceitos ecológicos a partir da sequência didática “Biomas Brasileiros”. Revista SBEnBio, [Campinas, SP] n. 3, out. 2010.

REMPEL, Claudete; STROHSCHOEN, Andreia Aparecida Guimarães; GERSTBERGER, André; DIETRICH, Franciele. Percepção de alunos de ciências biológicas sobre diferentes metodologias de ensino. Revista Signos, Lajeado, ano 37, n. 1, p. 82-90, 2016.

Publicado
2020-04-20
Como Citar
Taborda, M., Nogueira de Souza, J., Jean Jaques e Silva, W., Bomtempo Júnior, P., Jorck, A. C., & Cidral da Costa, L. A. (2020). Mestrado profissional em ensino de Biologia e cotidiano docente: reflexões compartilhadas sobre avaliação da aprendizagem. Boletim Técnico Do Senac, 46(1). https://doi.org/10.26849/bts.v46i1.759
Seção
Artigos