Sustentabilidade ambiental e agroecologia: uma experiência de extensão na formação em gastronomia

  • Hemanuel Carvalho

Resumo

Tendo em vista o modelo de produção agrícola vigente e predominante no Brasil que tem desprezado os pressupostos da sustentabilidade ambiental e os desdobramentos dessa realidade sobre a gastronomia, o presente estudo teve como objetivo compreender um pouco mais as possíveis contribuições do projeto Laboratório Ecossistêmico Interdisciplinar de Aprendizagem (LEIA Gastronomia) na formação de alguns extensionistas de um curso de gastronomia. Buscou-se também compreender o entendimento desses discentes sobre conceitos como sustentabilidade ambiental na gastronomia, agroecologia, entre outros. Além disso, abordou-se a presença e a importância da interdisciplinaridade no curso de gastronomia, a valorização de ingredientes regionais e sua importância para a agroecologia e a sustentabilidade ambiental. Trata-se de uma pesquisa qualitativa cujo cenário é o projeto de extensão em questão, envolvendo oito discentes e dois docentes implicados no Projeto LEIA. Foi feita uma análise de documentos do LEIA, além de entrevistas baseadas em roteiros semiestruturados. Os resultados indicam possíveis mudanças, a partir da participação no projeto, de postura profissional e mais consciência e sensibilização a respeito da sustentabilidade ambiental e sua relevância na gastronomia. Isso denota a relevância de projetos de extensão como este, que inserem os discentes em gastronomia nos métodos produtivos dos insumos utilizados nas cozinhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hemanuel Carvalho

Centro Universitário Una, Mestre em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local. Graduado em Gastronomia

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (Brasil). Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Brasília, DF: Anvisa, 16 set. 2004.

ÁGORA FIOCRUZ. Isenções e reduções fiscais na comercialização, industrialização e uso de agrotóxicos no Brasil. 12 set. 2019. Disponível em: https://agora.fiocruz.br/2019/09/12/isencoes-e-reducoes-fiscais-na-comercializacao-industrializacao-e-uso-de-agrotoxicos-no-brasil/. Acesso em: 2 set. 2020.

ALENCAR, Gabriel Aaquino; SÁ, Jonivan Martins de. Sustentabilidade e educação ambiental: incentivo social e a relação com a gastronomia. Missões: Revista de Ciências Humanas e Sociais, v. 2, n. 1, 2017.

BARBER, Dan. O terceiro prato. Rio de Janeiro: Bicicleta Amarela, 2015.

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano-compaixão pela terra. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

EHLERS, Eduardo. Agricultura sustentável: origens e perspectivas de um novo paradigma. São Paulo: Livros da Terra, 1996.

EMBRAPA. Marco referencial em Agroecologia. Brasília, DF: Embrapa, 2006.

FAO. Perdas e desperdícios de alimentos na América Latina e no Caribe. [S. l.]: ONU, 2017.

FERREIRA, Leidryana da Conceição. Educação ambiental e sustentabilidade na prática escolar. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 14, n. 2, p. 201–214, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 25. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

MARTINS, Ana Paula Bartoletto et al. Participação crescente de produtos ultraprocessados na dieta brasileira (1987-2009). Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 47, p. 656-665, 2013.

MEDEIROS, Aurélia Barbosa de et al. A importância da educação ambiental nas escolas nas séries iniciais. Revista da Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 1-17, set. 2011.

MOURA, Tania Maria de Melo. A prática pedagógica dos alfabetizadores de jovens e adultos: contribuições de Freire, Ferreiro e Vygotsky. 2. ed. Maceió: Edufal, 2004.

OLIVEIRA, Bruna de et al. Operação taioba: o uso de plantas alimentícias não convencionais (PANC) e da agricultura urbana na construção do senso agroecológico de escolares da rede pública de São Leopoldo, RS. Cadernos de Agroecologia, [s. l.], v. 13, n. 1, 2018.

ONU. Word Population Prospects 2019. Disponível em: https://population.un.org/wpp/. Acesso em: 3 out. 2020.

PEIXOTO, Marcus; PINTO, Henrique Salles. Desperdício de alimentos: questões socioambientais, econômicas e regulatórias. Boletim Legislativo, Brasília, DF, v. 1, n. 41, p. 1-14, 2016.

PETRINI, C. Slow food: princípios da nova gastronomia. São Paulo: Senac, 2009.

PINTO, Nathalia Lima. Apetite por mudança: gastronomia e sustentabilidade em diálogo. 2018. Tese (Doutorado em Gastronomia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

RIBEIRO, Helena; JAIME, Patricia Constante; VENTURA, Deisy. Alimentação e sustentabilidade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, jan-abr., 2017.

RUBIM, Rebeca. Ester. A ecogastronomia nos cursos superiores de gastronomia do estado de São Paulo: conceitos, aplicações e cenário observado. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, São Paulo, v. 5, n. 2, 2013.

SAVIANI, D. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. (Coleção Memória da Educação).

VIEITES, Renato Guedes. Agricultura sustentável: uma alternativa ao modelo convencional. Revista Geografar, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 1-12, jul-dez., 2010.

Publicado
2023-09-12
Como Citar
Carvalho, H. (2023). Sustentabilidade ambiental e agroecologia: uma experiência de extensão na formação em gastronomia. Boletim Técnico Do Senac, 49. https://doi.org/10.26849/bts.v49i.934
Seção
Artigos