Observar para intervir... as crianças com PHDA na aula regular do 1º Ciclo do ensino básico português

  • Ernesto Candeias Martins
  • Olga Carapeto
Palavras-chave: PHDA, Intervenção cognitivo-comportamental, Educação especial, Inclusão, Ensino básico

Resumo

O estudo aborda a Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA) em salas de aula do 1º Ciclo com intuito de compreender melhores estratégias e apoios para professores intervirem. A forma como a PHDA é encarada por professores e pais pode melhorar problemas de comportamento, aprendizagem e relações dessas crianças em sala de aula. É um estudo de caso de investigação qualitativa em educação especial. Aplicou-se em duas crianças de Agrupamentos de Escola diferentes programa de intervenção cognitivo-comportamental de Isabel Orjales Villar, cuja eficácia é medida na escala de Conners aos pais e professores e nos critérios do DSM IV, em um pré e pós-teste. Registámos, realizámos entrevistas com respetiva análise de conteúdo documental, comparando resultados obtidos nas crianças. Nos pré e pós-teste, os valores das subescalas avaliadas diminuíram, inclusive no índice de défice de atenção e hiperatividade de Conners.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-12-19
Como Citar
Candeias Martins, E., & Carapeto, O. (2013). Observar para intervir. as crianças com PHDA na aula regular do 1º Ciclo do ensino básico português. Boletim Técnico Do Senac, 39(3), 86-107. Recuperado de https://bts.senac.br/bts/article/view/125
Seção
Artigos