Leitura por meio de ferramentas da internet: contribuições para o ato de ler a partir dos dizeres de universitários

Francielle Nascimento Merett, Nathalia Martins, Sandra Aparecida Pires Franco

Resumo


Este estudo analisa as possíveis contribuições da leitura digital a partir da percepção de universitários sobre as ferramentas da internet. Foi realizada uma entrevista semiestruturada com 15 estudantes de Medicina e Psicologia de uma universidade do Paraná e os dados produzidos foram analisados à luz da abordagem crítico-dialética. Os resultados elucidam que a leitura digital faz parte do cotidiano dos participantes, sendo mencionada pela maioria como o suporte mais utilizado devido à acessibilidade. Os relatos dos universitários estão de acordo com uma pesquisa nacional, que constata o aumento no percentual de leitores devido às tecnologias da informação e comunicação.


Palavras-chave


Tecnologia da Informação e Comunicação; Ato de ler; Educação superior

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALTOÉ, A. Formação de professores para o uso do computador em sala de aula. Teoria e Prática da Educação, Maringá, v. 6, n. 14, p. 483-493, 2003. Edição especial.

ARENA, D. B. O ensino da ação de ler e suas contradições. Ensino em Revista, Uberlândia, v. 17, n. 1, p. 237-247, jan./jun. 2010. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/view/8193/5210. Acesso em: 16 jun. 2018.

BARRETO, E. R. L. A influência da internet no processo ensino-aprendizagem da leitura e da escrita. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, v. 9, n. 106, p. 84-90, mar. 2010. Disponível em: http://ojs.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/8269. Acesso em: 15 jun. 2018.

CARRENHO, C. O que os livros digitais representam para o aumento da leitura? O que diz a Retratos da Leitura no Brasil sobre quem lê nesse suporte? In: FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2016. p. 99-112.

CASTELLS, M. A sociedade em rede, v. 1. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CHAVES, E. O. Tecnologia educacional. In: GHIRARDELLI JUNIOR, Paulo; PETERS, Michal A. (ed.). Encyclopaedia of philosophy of education. [S. l.]: Springer, 1999.

DUARTE, N. A importância da concepção de mundo para a educação escolar: porque a pedagogia histórico-crítica não endossa o silêncio de Wittgenstein. Germinal: marxismo e educação em debate, Salvador, v. 7, n. 1, p. 8-25, jun. 2015. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/12808. Acesso em: 2 jun. 2018.

FAILLA, Zoara. Retratos: leituras sobre o comportamento leitor do Brasil. In: FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2016. p. 19-42.

FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.

GAMBOA, S. S. Os projetos de pesquisa: alguns fundamentos lógicos necessários. In: MIRANDA, E.; PACIULLI BRYAN, N. (ed.). (Re)pensar la educación pública: aportes desde Argentina y Brasil. Córdoba: Ed. Universidad Nacional de Córdoba, 2010.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LALUEZA, J. L.; CRESPO, I.; CAMPS, S. As tecnologias da informação e comunicação e os processos de desenvolvimento e socialização. In: COLL, C.; MONEREO, C. (ed.). Psicologia da educação virtual: aprender e ensinar com as tecnologias da informação e comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 47-65.

LEMOS, A. Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002.

LÉVY, P. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora. 34, 2010.

MANGUEL, A. Uma história da leitura. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

MARQUES NETO, J. C. Retratos da leitura no Brasil e políticas públicas: fazer crescer a leitura na contracorrente: revelações, desafios e alguns resultados. In: FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2016. p. 57-73.

NASCIMENTO, F. P.; FRANCO, S. A. P. Conhecimento de mundo por meio da leitura digital: um estudo com universitários. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, p. 1511-1523, 2017. Número especial.

OLIVEIRA, F. R. Práticas de comunicação e desenvolvimento cognitivo na cibercultura. Intexto, Porto Alegre, n. 25, p. 128-143, 2011.

PAULANI, L. M. Leitura e mercado de livros no Brasil: os resultados de duas diferentes pesquisas. In: FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2016. p. 127-140.

REGIS, F.; TIMPONI, R.; MAIA. Cognição integrada, encadeada e distribuída: breve discussão dos modelos cognitivos na cibercultura. Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 9, n. 26, p. 115-134, 2013.

SANTOS, E. Educação online: cibercultura e pesquisa-formação na prática docente, 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação, 2015.

SANTOS, E. Educação online para além da EAD: um fenômeno da cibercultura. In: CONGRESSO INTERNACIONAL GALEGO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA, 10., 2009. Actas do [...]. Braga: Universidade do Minho, 2009.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, 2002.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Creative Commons

ISSN Impresso 0102549-X

ISSN Eletrônico 2448-1483

 

 Licença Creative Commons

Este conteúdo está licenciado com Creative Commons Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional.