Práticas inovadoras em educação potencializadas pelas tecnologias digitais

Isabella Farias Batista, Maria Paulina de Assis

Resumo


Este artigo apresenta um grupo de nove soluções tecnológicas que se propõem a potencializar ações inovadoras de ensino. Essas soluções são brevemente descritas e analisadas sob critérios relacionados a características de inovação, conforme suas propostas (ensino híbrido, sala de aula invertida, gamificação e personalização do ensino). Propõe-se também uma fundamentação teórica para as abordagens inovadoras, baseadas em autores reconhecidos na área da Educação, enfocando o papel da mediação como característica essencial do educador em suas práticas docentes.


Palavras-chave


Inovação; Tecnologias; Mediação; Facilitador; Ensino

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Anne. Recreação: ludicidade como instrumento pedagógico. [S. l.]: Cooperativa do Fitness, 23 jan. 2009. Disponível em: https://www.cdof.com.br/recrea22.htm. Acesso em: 21 out. 2017.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; VALENTE, José Armando. Integração currículo e tecnologias e a produção de narrativas digitais. Currículo sem Fronteiras, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 57-82, 2012.

ASSIS, Maria Paulina de. Learning design: conceitos, métodos e ferramentas. 2011. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

BACICH, Lilian; MORAN, José Manuel. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio, Porto Alegre, v. 17, n. 25, p. 45-47, 2015.

BATES, Melanie; MANUEL, Sue; OPPENHEIM, Charles. Models of early adoption of ICT innovations in higher education. Ariadne, [S. l.], n. 50, 2007.

BITTENCOURT, Priscilla Aparecida Santana; ALBINO, João Pedro. Cultura digital e as tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 216, p. 42-50, 2017.

CAVALLO, David et al. Inovação e criatividade na educação básica: dos conceitos ao ecossistema. Revista Brasileira de Informática na Educação, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 143-161, 2016.

COELHO, Patrícia Margarida Farias et al. Ensino e jogos digitais: uma breve análise do game “produção de textos: trabalhando com pontuação” como recurso didático. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, p. 7-19, ago. 2016. Número especial.

CYSNEIROS, Paulo Gileno. Novas tecnologias na sala de aula: melhoria do ensino ou inovação conservadora. Informática Educativa, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 11-24, 1998.

DEWEY, John.; CUNHA, Marcus Vinicius da. Democracia e educação: capítulos essenciais. São Paulo: Ática, 2007.

EDUCAUSE LEARNING INITIATIVE. 7 Things you should know about flipped classrooms. [S. l.], Feb. 2012. Disponível em: http://net.educause.edu/ir/library/pdf/eli7081.pdf. Acesso em: 10 out. 2017.

FERREIRA, L. A importância do lúdico na Educação Infantil. Artigonal, [S. l.], set. 2009. Disponível em: http://www.artigonal.com/educacao-infantil-artigos/aimportancia-doludico-na-educacao-infantil-1230873.html. Acesso em: 21 out. 2017.

FLIPPED classroom field guide. [S. l.: s. n., 2016]. Disponível em: https://tlc.uic.edu/files/2016/02/Flipped-Classroom-Field-Guide.pdf. Acesso em: 24 maio 2016.

GETSCHKO, Demi. Participação e presença na rede: pesquisa sobre o uso das tecnologias da informação e da comunicação no Brasil: TIC Domicílio e TIC Empresas 2006. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2007.

GOMES, P. Ensino híbrido é o único jeito de transformar a educação. São Paulo: Porvir, 20 fev. 2014. Disponível em: http://porvir.org/ensino-hibrido-e-unico-jeito-detransformar-educacao/. Acesso em: 9 out. 2017.

JOHNSON, Steven. Where good ideas come from: the natural history of innovation. New York: Riverhead Books, 2010.

MACEDO, L.; PETTY, A. L. S.; PESSOA, N. C. Os jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MARQUES, Cláudia Luíza. A metodologia do lúdico na melhoria da aprendizagem na educação inclusiva. Revista Eixo, Brasília, DF, v. 1, n. 2, p. 80-91, 2012.

MATTAR, João. Games em educação: como os nativos digitais aprendem. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

MESSINA, Graciela. Mudança e inovação educacional: notas para reflexão. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 114, p. 225-233, 2013.

MORAN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, Carlos Alberto de; MORALES, Ofelia Elisa Torres (org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, 2015. E-book (p. 15-33).

MOTA, Ronaldo. O papel da inovação na sociedade e na educação. Desafios da gestão universitária contemporânea. Porto Alegre: Artmed, 2011. p. 81-96.

OECD. Education at a glance 2017: OECD indicators. Paris: OECD Publishing, 2017. Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/education/education-at-aglance-2017_eag-2017-en. Acesso em: 24 maio 2019.

OECD. PISA 2015 results: excellence and equity in education, volume 1. Paris: OECD Publishing, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1787/9789264266490-en. Acesso em: 11 out. 2017.

OLIVEIRA, Marta Kohl. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio histórico. São Paulo: Scipione, 1995.

SHARMA, Pete; BARRETT, Barney. Blended learning: using technology in and beyond the language classroom. Oxford: Macmillan, 2011.

STAKER, H.; HORN, M. B. Classifying K–12 blended learning. Mountain View: Innosight Institute, 2012. Disponível em: http://www.christenseninstitute.org/wpcontent/uploads/2013/04/Classifying-K-12-blended-learning.pdf. Acesso em: 9 out. 2017.

VALENTE, José Armando. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, p. 79-97, 2014. Número especial, n. 4.

VALENTE, José Armando. A sala de aula invertida e a possibilidade do ensino personalizado: uma experiência com a graduação em midialogia. In: BACICH, Lilian; MORAN, José Manuel (org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018. p. 26-44.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Creative Commons

ISSN Impresso 0102549-X

ISSN Eletrônico 2448-1483

 

 Licença Creative Commons

Este conteúdo está licenciado com Creative Commons Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional.